Free songs
Curiosidades

Você sabia que?
ALAIN RUELLAN● Depois de cinco dias viajando pela região do Campo das Vertentes, o professor emérito em Ciência do Solo, da Universidade Agropolis, de Montpellier, na França, Alain Ruellan, disse ter ficado impressionado com as erosões na região e afirmou que se a população não reagir, enfrentará gravíssimos problemas dentro de apenas 10 ou 20 anos.
● As perdas de solo na região chegam a 100 caminhões de terra por hectare por ano. Isso significa que quase 600 toneladas de solo, por uma área equivalente a um campo de futebol, estão assoreando os nossos cursos d`água. Esse índice chega a quase 4mil por cento acima dos limites de tolerância para os solos da nossa região.
● A taxa de assoreamento da represa hidrelétrica do Funil, onde deságua o Rio das Mortes, o Rio Capivari e o Rio Grande, chega a 10 centímetros por ano. Até quando haverá produção de energia elétrica nessa usina?
● A vazão hídrica do Rio das Mortes está 20% inferior que a média histórica devido a uma diminuição na abundância das águas. Quais nascentes, córregos e ribeirões estão secando na sua comunidade?
● Só de não queimarmos a voçoroca, não lançarmos enxurradas em seu interior e não jogarmos lixo nela, já estamos contribuindo para a sua regeneração natural.
VIVEIRO DE MUDAS● O Projeto Maria de barro tem um viveiro florestal, com mais de mil metros quadrados, e capacidade para produzir 200 mil mudas de 80 espécies nativas e exóticas por ano. O viveiro fornece mudas para a contenção das voçorocas, recuperação de nascentes e matas ciliares.
● Ao resgatar as construções de adobe, o projeto Maria de Barro mostra para as Prefeituras que, com poucos recursos, uso de materiais alternativos e participação da comunidade, é possível resolver problemas habitacionais nos municípios, proporcionando moradia digna.
ADOBE● Na construção das casas ecológicas são resgatados técnicas e materiais tradicionais da região, que foram esquecidos nas construções modernas como alicerce em pedra empilhada, alvenarias em adobe, telhados em engradamento em madeira roliça e bambu, pisos em tijolo requeimado e esteiras de bambu na forração dos tetos.
● Os adobes promovem um grande conforto térmico e acústico na moradia. As casas ficam mais quentes no inverno e frescas no verão. Além de serem ecológicas, pois não há necessidade de se queimar tijolos, parte do material utilizado nas construções é retirado do próprio local, diminuindo gastos com energia e transporte.